Ancestral de polvos e lulas tinha 10 membros funcionais, segundo estudo

Cientistas do Museu da História Natural Americana e da Universidade de Yale descobriram um fóssil surpreendentemente bem preservado de um cefalópode que, diz a pesquisa, trata-se de um ancestral de polvos e lulas, com 10 membros totalmente funcionais – o único de sua espécie.

Mais além, a descoberta datou o fóssil – batizado Syllipsimopodi bideni – como tendo vivido há 328 milhões de anos, efetivamente jogando o registro mais antigo de animais desse tipo em 80 milhões de anos.

Leia também

Representação artística do  Syllipsimopodi bideni, um ancestral dos polvos e lulas, com 10 braços ao invés de oito
Representação artística do Syllipsimopodi bideni, um ancestral dos polvos e lulas, com 10 braços ao invés de oito (Imagem: K. Whalen et. al/Yale University/Divulgação)

Animais pré-históricos da superordem octopodiforme – como são classificados polvos e lulas – são bem difíceis de pesquisar. Ao contrário de dinossauros e outros animais vertebrados, esses seres não têm estrutura óssea, então a conservação de seus fósseis é bastante desafiadora e, não raro, eles se perdem para o tempo.

O fóssil em questão estava nos arquivos do Museu Real de Ontário, no Canadá, e foi amplamente estudado por Christopher Whalen, pesquisador pós-doutorado do museu e pesquisador associado em Yale; e Neil Landman, curador emérito do museu. Surpreendentemente, todos os 10 membros estavam com suas ventosas de sucção intactas, fazendo deste um dos fósseis mais bem preservados que temos.

“A contagem de braços é uma das características mais determinantes que separam as lulas, de 10 braços, das lulas-vampiro e dos polvos (Vampyropoda). Nós sempre entendemos que polvos chegam a oito braços pela eliminação de dois filamentos vestigiais”, disse Whalen. “Entretanto, todos os fósseis Vampyropoda com membros preservados tinham apenas oito braços. Assim, este fóssil é possivelmente a primeira confirmação de que todos os cefalópodes ancestrais tinham 10 braços”.

O nome da espécie vem em homenagem ao atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Na ocasião da entrega do paper para análise e revisão dos pares, Biden ainda era presidente-eleito, tendo acabado de ganhar as eleições, porém a cerimônia inaugural de seu mandato ainda não havia acontecido.

Segundo os cientistas, o fato dos 10 braços serem revestidos de ventosas provavelmente fazia do ancestral dos polvos e lulas modernos um predador mediano, que possivelmente usava seus membros para arrancar animais “cascudos” de suas armaduras antes de devorá-los.

O estudo completo foi publicado no jornal científico Nature Communications.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Ancestral de polvos e lulas tinha 10 membros funcionais, segundo estudo apareceu primeiro em Olhar Digital.

Desenvolvido por Direto na Web