Ata do Copom, prévia da inflação de março e balanços de JBS (JBSS3) e Sabesp (SBSP3): o que acompanhar na semana

Após a decisão do Federal Reserve, que subiu os juros nos Estados Unidos em 0,25 ponto percentual, e o Banco Central do Brasil ter elevado a Selic em mais 1 ponto, a 11,75%, os investidores seguem monitorando os próximos passos das autoridades monetárias. Logo na segunda-feira (21), o presidente do BC americano, Jerome Powell, faz um discurso em um evento para empresários às 13h (horário de Brasília).

Na terça-feira (22), sai a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) e o documento está sendo bastante aguardado pelo mercado, para saber até quando a autoridade monetária brasileira vai continuar subindo juros. Vale lembrar que, ao término da semana passada, o BC afirmou em comunicado que espera subir a Selic na mesma magnitude na reunião de maio. Os economistas esperavam por altas menores a partir da próxima reunião.

“A minuta terá relevância especial para avaliar as chances do Banco Central eventualmente encerrar o ciclo de aperto monetário já na próxima reunião, com a Selic a 12,75%”, escreveram os analistas do Itaú, em relatório.

Novos dados de inflação também seguem no radar. Na agenda praticamente vazia de indicadores, o destaque fica para a prévia do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), referente ao mês de março, a ser divulgado na próxima sexta-feira (25).

“Esperamos uma alta mensal de 0,89%, levando a taxa anual a 10,72%. A inflação fora do núcleo deve pressionar o índice para cima novamente, especialmente itens de alimentação, passagens aéreas e veículos novos e usados. O núcleo da inflação também vai permanecer sob pressão, tanto para bens quanto para serviços”, diz análise do Itaú.

Vale lembrar que, em fevereiro, a inflação medida pelo IPCA subiu 1,01% em relação a janeiro, avançando mais do que o consenso de mercado esperava (alta mensal de 0,95%). Em 12 meses, o índice já avançou 10,54%. O IPCA de fevereiro incorporou alta nas mensalidades do segmento de educação e ajustes nos preços de alimentos e bebidas, avançando mais que o previsto ainda sem contar com o reajuste no preço dos combustíveis, que entrou em vigor no último dia 11 de março.

O Projeto de Lei 1.472/2021, que propõe mudança de cálculo no preço dos combustíveis, considerando não só o preço internacional do petróleo, já foi aprovado pelo Senado, mas não é considerada uma questão emergencial para a Câmara, conforme afirmou o deputado Arthur Lira (PP-AL), presidente da Casa.

A agenda internacional praticamente não traz indicadores relevantes. As atenções devem permanecer voltadas à guerra da Rússia contra a Ucrânia e as negociações entre autoridades dos dois países, que tem avançado pouco. Além disso, os investidores seguem avaliando os impactos de sanções à Rússia na dinâmica do comércio exterior e da inflação global, à medida que as autoridades internacionais endurecem o discurso contra Vladimir Putin.

“Em semana com a agenda de indicadores internacionais esvaziadas, os índices PMI europeus de março [que saem na quinta-feira] podem ter algum destaque, uma vez que podem refletir a queda de confiança resultante do conflito no leste do continente”, diz análise do Bradesco.

Agenda corporativa

Na quinta-feira (25), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai promover leilão para privatizar a Companhia Docas do Espírito Santo. O processo marca a primeira desestatização portuária planejada pelo governo Bolsonaro.

Quem arrematar a companhia irá assumir a concessão dos portos de Vitória e Barra do Riacho, num contrato de 35 anos, em que estão previstos investimentos diretos de R$ 1,3 bilhão – R$ 334,8 milhões em investimentos e aproximadamente R$ 1 bilhão para custear as despesas operacionais.

A temporada de resultados trimestrais das empresas também segue a todo vapor, com mais de 20 balanços previstos para os próximos dias. JBS (JBSS3), Sabesp (SBSP3) e Cogna (COGN3) são algumas das companhias que divulgarão seus números.

Confira o calendário de divulgações:

Segunda-feira (21)

  • Eneva (após fechamento)
  • JBS (após fechamento)
  • Unidas (após fechamento)

Terça-feira (22)

  • Copel (após fechamento)
  • Even (após fechamento)
  • Melnick (após fechamento)
  • Petrorecôncavo (após fechamento)
  • Positivo (após fechamento)
  • Vibra Energia (após fechamento)
  • Track & Field (após fechamento)
  • Westwing (após fechamento)

Quarta-feira (23)

  • Hapvida (após fechamento)
  • Equatorial (após fechamento)
  • Hidrovias do Brasil (após fechamento)
  • Locaweb (após fechamento)
  • Dotz (após fechamento)
  • Dexxos Par (após fechamento)
  • Lopes (após fechamento)
  • Wilson Sons (após fechamento)

Quinta-feira (24)

  • Cogna (antes da abertura)
  • Enjoei (após fechamento)
  • Light (após fechamento)
  • Sabesp (após fechamento)
  • Panvel (após fechamento)
  • Multilaser
  • ClearSale
  • Armac
  • Dimed
  • Focus Energia
  • Oceanpact
  • Tecnisa
  • Time for Fun
  • Triunfo

Sexta-feira (25)

  • Ser Educacional (antes da abertura)
  • Biomm (após fechamento)
  • Espaço Laser

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

The post Ata do Copom, prévia da inflação de março e balanços de JBS (JBSS3) e Sabesp (SBSP3): o que acompanhar na semana appeared first on InfoMoney.

Desenvolvido por Direto na Web