FGTS: saque pode passar de R$ 1 mil; saiba quem tem direito

A Caixa Econômica Federal confirmou que vai liberar uma nova rodada de saque emergencial do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Segundo as informações do Ministério da Economia, os valores vão de R$ 500 a R$ 1 mil, podendo passar do teto como veremos a seguir.

Como noticiado aqui no Olhar Digital, a iniciativa deve beneficiar mais de 40 milhões de trabalhadores e visa diminuir o endividamento dos brasileiros por conta dos impactos da pandemia na economia.

Como serão feitos os pagamentos?

Os saques começam a ser liberados no dia 20 de abril e vão até 15 de junho. O prazo limite para solicitar o dinheiro é 15 de dezembro de 2022.

Quem não movimentar o dinheiro até o fim do prazo, terá o valor devolvido à sua conta do fundo. Imagem: Gabriel_Ramos/Shutterstock

A boa notícia é que o processo será totalmente digital, ou seja, as pessoas não vão precisar se deslocar até uma agência física da Caixa. Os requisitos são: ter acesso ao Caixa Tem e uma conta poupança digital na instituição.

Os valores serão disponibilizados automaticamente. Caso não tenha conta, a Caixa informa que será aberta uma poupança digital automaticamente em nome do trabalhador.

Confira o cronograma completo no calendário abaixo:

Quem tem direito ao saque do FGTS?

O saque será facultativo. Normalmente, com exceção do saque emergencial, o fundo só pode ser retirado em situações como demissão sem justa causa, compra de um imóvel ou aposentadoria, por exemplo. Quem teve contrato de trabalho firmado a partir de 1988 também pode sacar o benefício quando desejar.

Também tem direito ao FGTS os trabalhadores domésticos, rurais, temporários e atletas profissionais

Aqueles que não movimentarem o dinheiro até o fim do prazo, terão os valores devolvidos à sua conta do fundo.

Como funciona o fundo?

O FGTS é uma obrigação do empregador e não pode ser descontado do salário. Funciona basicamente assim: até o dia 7 de cada mês, os empregadores depositam em contas na Caixa Econômica (abertas no nome do funcionário) uma fatia, geralmente de 8%, correspondente ao salário de cada colaborador.

O percentual muda conforme a atividade exercida. Para trabalhos de aprendizagem, o percentual cai para 2%. No caso de trabalhador doméstico, o recolhimento é de 11,2%.

Leia mais:

Como consultar o saldo disponível?

A consulta pode ser feita pessoalmente em uma agência ou site da Caixa e também pelo aplicativo FGTS. Pelo app também é possível se cadastrar para acompanhar o saldo da conta por SMS.

Consultar o saldo pelo aplicativo

Passo 01: abra o app, toque em “Entrar no aplicativo” > “Continuar”;

Passo 02: informe seu CPF e toque em “Próximo”;

Passo 03: digite sua senha e vá em “Entrar”;

Passo 04: na tela inicial, aparecerão informações relativas às empresas que trabalhou;

Passo 05: o saldo de valores depositados aparece no topo da tela, clique sobre ele para ver as movimentações.

No site da Caixa, é preciso informar o NIS (PIS/Pasep), que pode ser consultado na carteira de trabalho ou extrato antigo – também é possível descobrir o número pela internet.

Outra forma de receber o extrato é em casa a cada dois meses. Para isso, o trabalhador deve informar o seu endereço completo em uma agência da Caixa ou pelo telefone 0800 7260101.

Saque de até R$ 6,2 mil

Os trabalhadores afetados pelas tempestades que ocorreram em fevereiro terão direito a retirada de até R$ 6.220 do FGTS. A medida, segundo a Caixa, vai atender a todos que tiverem saldo no fundo.

Para ter direito a quantia, é preciso enviar um documento ao banco com foto e um comprovante de residência para comprovar a residência em uma das regiões atingidas pelas chuvas nos últimos 120 dias.

Os casos serão analisados individualmente e o crédito, se aprovado, será disponibilizado em até cinco dias úteis. Por ora, serão contemplados moradores de cidades na Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post FGTS: saque pode passar de R$ 1 mil; saiba quem tem direito apareceu primeiro em Olhar Digital.

Desenvolvido por Direto na Web