featured-image

Lojas Renner (LREN3): preocupação com margens ofusca bons dados de receita e analistas cortam projeções; ação cai forte

Lojas Renner (LREN3)

Por mais um trimestre, a Lojas Renner (LREN3) divulgou resultados que não animaram os analistas de mercado. A varejista registrou lucro líquido de R$ 415,8 milhões no quarto trimestre de 2021 (4T21), cifra 17,5% superior ao registrado no quarto trimestre de 2020.

As tendências da receita, que somou R$ 3,560 bilhões entre outubro e dezembro do ano passado, alta de 22% na comparação com igual etapa de 2020, foram consideradas animadoras. Porém, as margens mais baixas ofuscaram esse dado positivo, fazendo com que casas reduzissem as projeções para a ação da companhia, como o caso do Bradesco BBI, ou colocassem o papel em revisão, caso do Itaú BBA.

Com isso, as ações iniciaram o dia com forte queda. Às 10h19 (horário de Brasília), depois de quase 20 minutos em leilão de abertura, os papéis LREN3 tinham baixa de 6,11%, a R$ 21,50, após abrirem em queda de mais de 7%.

A XP destacou que a varejista registrou resultados mais fracos do que o esperado, com as margens ainda pressionadas pela pressão de custos e investimentos na construção do seu ecossistema combinado à provisão de bônus feita no trimestre.

As vendas líquidas subiram 26% na base anual, uma vez que o maior tíquete médio compensou a queda no fluxo de lojas, levando a um crescimento de vendas mesmas lojas (SSS) de 19% na base anual, enquanto as venda brutas de mercado (GMV) digital atingiu R$ 514 milhões, alta de 38% na base anual e se mantendo estável versus o terceiro trimestre como porcentual da receita líquida, em 12%. A companhia continua a ver uma recuperação de vendas em 2022, com aceleração de crescimento versus 2019.

A rentabilidade foi o destaque negativo. A margem Ebitda (lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização, ou Ebitda, sobre receita líquida) ajustada atingiu 21,8% no período, baixa de 3,5 pontos percentuais frente a margem registrada em 4T20.

A XP destaca que a margem mostrou pressão pelos investimentos da companhia na construção do seu ecossistema, mas com uma provisão de bônus surpreendendo para cima, em R$ 148 milhões, levando a um Ebitda 10% abaixo das estimativas da XP.

“De acordo com a empresa, essa provisão pode ser vista como pontual uma vez que as metas anuais foram definidas em um momento bastante incerto, com o cenário melhorando mais rápido do que esperado durante 2021”, ressalta a XP.

Olhando para Realize, o crescimento de receita foi sólido (em alta de 99% na base anual) motivado pela recuperação de vendas combinado às emissões do Meu Cartão, enquanto o nível de inadimplência aumentou no trimestre em 0,8 ponto percentual, apesar de ainda se manter em linha com níveis históricos. Já o lucro líquido ficou em linha com as estimativas da casa. A XP segue com recomendação de compra para o papel e preço-alvo de R$ 42 por ação, ou potencial de alta de 83% frente o fechamento de quinta.

Analistas do Bradesco BBI ressaltam que a Renner teve um bom desempenho de receita, que foi ofuscado pelas margens fracas. A pressão de margem era esperada, mas a contração em relação a 2019 foi maior do que esperado, mesmo após revisar as estimativas para baixo no final de janeiro.

A maior preocupação é a margem bruta, que caiu 3 pontos percentuais em relação a 2019. A empresa havia sinalizado uma base de comparação difícil em 2019, mas a bandeira Renner teve a menor margem bruta do quarto trimestre em vários anos, o que significa que a inflação de custos (matérias-primas, frete e câmbio) tem cobrado seu preço (remarcação está em níveis historicamente baixos ).

Como consequência, os analistas reduziram a estimativa de margem bruta para 2022 – anteriormente esperavam alguma recuperação ano a ano, mas agora assumiram estabilidade.

O BBI mantém classificação outperform (desempenho acima da média, equivalente à compra) para Lojas Renner, mas cortou o preço-alvo de R$ 40 para R$ 37, ainda um potencial de alta de 61% em relação ao fechamento da véspera.

Como destacado, as tendências de receita foram fortes, enquanto a administração da empresa observa que as fortes tendências de vendas continuaram e aceleraram até agora em 2022 o que, na visão do BBI, aumenta a probabilidade de se começar a ver alguma diluição dos investimentos que foram feitos em despesas gerais e administrativas para apoiar a estratégia do ecossistema da empresa.

“No entanto, isso não resolve o problema da margem bruta. Mesmo com as ações sendo negociadas com um múltiplo de preço sobre o lucro esperado para 2022 atrativo de 18,5 vezes, acreditamos que os investidores provavelmente permanecerão cautelosos devido à pressão nas margens”, apontam os analistas.

Já o Itaú BBA colocou a ação da Lojas Renner em revisão devido à menor rentabilidade. Para analistas, os resultados da Lojas Renner no 4T21 ficaram amplamente em linha para receita e lucro, mas significativamente abaixo das expectativas para o Ebitda ajustado nas divisões de varejo e serviços financeiros.

Segundo BBA, a decepção no varejo foi impulsionada principalmente por maiores despesas gerais e administrativas (em maiores investimentos digitais) e despesas de participação nos lucros, enquanto os resultados de serviços financeiros foram prejudicados por maiores provisões.

O fato de as margens terem ficado aquém das estimativas conservadoras levou o banco a colocar LREN3 em revisão por enquanto.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

The post Lojas Renner (LREN3): preocupação com margens ofusca bons dados de receita e analistas cortam projeções; ação cai forte appeared first on InfoMoney.

Desenvolvido por Direto na Web