Meta sofre processo por anúncios fraudulentos na Austrália

A Comissão Australiana da Concorrência e do Consumidor (ACCC) entrou com uma ação contra a Meta, proprietária do Facebook, sob acusação de que a gigante das redes sociais não conseguiu impedir golpistas de utilizar os anúncios da plataforma para promover anúncios falsos. Os golpes envolviam esquemas com criptomoedas, utilizando páginas de famosos para promover os anúncios.

A ação foi movida pelo Tribunal Federal e alega ainda que o Facebook estava ciente das atitudes dos golpistas e, mesmo assim, não tomou providências.

“A essência do nosso caso é que a Meta é responsável por esses anúncios que publica em sua plataforma. Afirma-se que Meta estava ciente que anúncios fraudulentos estavam sendo exibidos no Facebook, mas não tomou medidas suficientes para resolver o problema”, disse o presidente da ACCC, Rod Sims.

Meta nega

A Meta informou que qualquer anúncio que tenha caráter falso ou que engane os usuários viola suas políticas Por meio de nota informou ainda que a empresa utiliza tecnologia para detectar e bloquear essas postagens, acrescentando que “cooperou com a investigação até o momento”.

“Vamos revisar o recente arquivamento da ACCC e pretendemos defender o processo”, disse um porta-voz da Meta em um comunicado por e-mail.

Leia mais:

Esquema com montagem profissional

A ACCC disse que os anúncios usavam imagens de vários líderes empresariais australianos, apresentadores de TV e políticos e continham links para artigos falsos da mídia que incluíam citações atribuídas às personalidades.

Os usuários que se inscreveram foram contatados por golpistas para convencê-los a depositar fundos nos esquemas falsos.

“Estamos cientes de um consumidor que perdeu mais de US$ 480 mil devido a um desses golpes… isso é vergonhoso”, disse Sims.

criptomoedas
Esquema utilizava anúncios no Facebook para divulgar vendas de criptomoedas, tendo inclusive imagens de personalidades famosas do país. Imagem: Shutterstock

O magnata australiano do minério de ferro, Andrew Forrest, presidente do Fortescue Metals Group, também iniciou processos criminais contra o Facebook, no mês passado, por anúncios fraudulentos, incluindo os que usam sua imagem para promover esquemas de criptomoedas.

O Facebook anunciou que vai lançar um programa para ajudar a treinar candidatos políticos e influenciadores australianos em segurança cibernética para impedir a disseminação de possíveis informações falsas durante a campanha para as próximas eleições do país.

O post Meta sofre processo por anúncios fraudulentos na Austrália apareceu primeiro em Olhar Digital.

Desenvolvido por Direto na Web