Tremor em Fukushima: autoridades confirmam 4 mortos e pelo menos 90 feridos

As autoridades japonesas confirmaram quatro mortes e algo entre 90 e 160 feridos, de acordo com veículos de comunicação como BBC, CNN e Phys.org, após um tremor atingir a região norte do Japão – especificamente, Fukushima e os arredores a norte e a leste. Devido às atualizações, a magnitude do episódio foi atualizada de 7,3 para 7,4 na Escala Richter – considerado “Grande” e com alto potencial de dano.

Fukushima é a mesma região onde, em 2011, um terremoto de escala 9,0 – conhecido como “Terremoto de Tōhoku” – causou um desastre nuclear em uma usina localizada em Ōkuma (Fukushima Daiichi). A usina está em processo de fechamento e desativação. O novo tremor foi noticiado ontem (16) ontem pelo Olhar Digital.

Leia também

Diversos cidadãos japoneses foram às estações de trem, onde aguardavam o retorno do serviço ferroviário após tremor deixar mais de 2 milhões de casas sem energia em Fukushima, região norte do país
Diversos cidadãos japoneses foram às estações de trem, onde aguardavam o retorno do serviço ferroviário após tremor deixar mais de 2 milhões de casas sem energia em Fukushima, região norte do país (Imagem: Kyoto News/Reprodução)

De acordo com pronunciamento do primeiro ministro japonês, Fumio Kishida, um homem de aproximadamente 60 anos morreu após cair do segundo andar de sua casa durante a evacuação, enquanto outro teve uma crise de pânico que o levou a um ataque cardíaco fatal. As outras duas mortes estão sob investigação.

Segundo a agência de meteorologia do Japão, um pequeno tsunami causado pelo tremor chegou a atingir o litoral de Fukushima, criando ondas de 30 centímetros (cm) que bateram nos bancos de areia de Ishinomaki, a 390 quilômetros (km) de Tóquio, capital do Japão.

Inicialmente, o tremor havia sido registrado com 7,3 pontos na Escala Richter, com profundidade de 60 km. Após as atualizações, especialistas locais de sismologia alteraram esses paradigmas, agora com o terremoto tendo 7,4 pontos e profundidade de 56 km. Em termos práticos: ele foi mais forte e mais perto da superfície do que se pensava.

Instructions from the Prime Minister Regarding the Earthquake Centered in Miyagi and Fukushima Prefectures (23:38)https://t.co/igtu78kS8X
(March 16)

— PM's Office of Japan (@JPN_PMO) March 16, 2022

No que tange à usina nuclear de Ōkuma e outras estruturas nucleares na região, os funcionários da Tokyo Electric Power Company – que opera todas as instalações energéticas – não relataram nenhuma anormalidade.

A empresa que cuida do transporte ferroviário do Japão, East Japan Railway Co., suspendeu a maior parte dos serviços desde ontem, mas algumas linhas principais já voltaram a trabalhar. Nas estações, longas filas eram formadas por pessoas que aguardavam o retorno do transporte. O primeiro ministro Kishida disse que uma linha expressa chegou a sofrer descarrilamento parcial (quando parte do trem sai dos trilhos), mas nenhum dano majoritário foi relatado e ninguém ficou ferido. Pelo Twitter, o primeiro ministro pediu que as pessoas priorizassem ações que salvassem suas vidas antes de qualquer outra.

Hirokazu Mazuno, secretário da Chefia de Gabinete do governo, disse que as autoridades estavam trabalhando ao máximo para avaliar todos os danos, e pediu que moradores das áreas afetadas tivessem cautela na evacuação a fim de evitar maiores ferimentos ou mortes por ondas de choque posteriores ao tremor, não só em Fukushima, mas na região leste, onde edifícios balançaram com força.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Tremor em Fukushima: autoridades confirmam 4 mortos e pelo menos 90 feridos apareceu primeiro em Olhar Digital.

Desenvolvido por Direto na Web